Accenture e Fórum Econômico Mundial decodificam o "DNA da Sustentabilidade" para empresas em busca de entrega de valor e impacto a todos os stakeholders

Empresas com práticas robustas de gestão de stakeholders geram mais de 20% de lucro, bem como de impacto ambiental e social
 
NOVA YORK, 09 de novembro de 2021 - Novo estudo da Accenture (NYSE: ACN) e do Fórum Econômico Mundial mostra as capacidades de que os líderes C-Suite precisam para construir organizações sustentáveis que forneçam valor duradouro e impacto equitativo para seus funcionários, clientes e comunidades.

O relatório Shaping the Sustainable Organization, constata que valores responsáveis e as intenções ambientais, sociais e de governança (ESG) das empresas começam a ficar maiores do que a capacidade das organizações de cumpri-las. A fim de transformar as metas de sustentabilidade em realidade, a Accenture e o Fórum Econômico Mundial decidiram decodificar o "DNA da Sustentabilidade", um conjunto de 21 práticas, sistemas e processos de gestão que constituem a base das ações centradas nos stakeholders (stakeholder-centricity).

 

"Os desafios ambientais e sociais do mundo já são um fator de disrupção para as empresas de hoje", explica Patrícia Feliciano, diretora-executiva de Talentos e Organização da Accenture Strategy. "Mas nosso estudo em parceria com o Fórum Econômico Mundial constatou que aquelas que decidem centrar o DNA da organização e da liderança no stakeholder apresentam um desempenho e criação de valor em sustentabilidades superiores. As empresas em questão usam novas tecnologias e conjuntos de dados ESG para criar cadeias de fornecimento mais sustentáveis e resilientes, usar de forma sistemática o poder inovador da diversidade e impulsionar o crescimento, colocando as necessidades dos stakeholders no centro de seus produtos, serviços e novas oportunidades de mercado. Quem ignorar o momento atual e não se posicionar frente aos riscos futuros, ficará para trás."
 
Para avaliar o poder do DNA da Sustentabilidade em empresas do mundo todo, a Accenture e o Fórum Econômico Mundial criaram o Sustainable Organization Index (SOI), um índice que avalia cerca de 4.000 empresas com base em evidências relevantes para o mercado de apoio a práticas ESG em 146 áreas. As organizações no quartil superior do SOI apresentam um desempenho significativamente melhor em comparação com aquelas com pontuações mais baixas ou menos consistentes. Ou seja, empresas com um DNA de Sustentabilidade mais forte têm crescimento médio de 21% tanto na margem EBITDA quando no impacto ambiental e societário.
 

Segundo o estudo, a incorporação do DNA da Sustentabilidade impulsiona mudanças comportamentais em todas as organizações de três formas - promovendo conexões humanas, impulsionando a inteligência coletiva e a responsabilização em todos os níveis. De modo geral, as empresas tendem a pontuar mais alto em ferramentas que aprofundam as "conexões humanas" (pontuação média da SOI = 57), refletindo sua capacidade de engajar os stakeholders, mas têm desempenho pior na hora de gerar a "inteligência coletiva" (47), sugerindo uma dificuldade entre as equipes de liderança para construir uma atuação centrada nos stakeholders.

No geral, a pontuação média em todas as empresas avaliadas pelo SOI foi de apenas 52/100, sugerindo que a maioria tem espaço significativo para fortalecer o DNA de Sustentabilidade. O estudo defende três passos que as empresas devem tomar a fim de criar um ciclo de mudança capaz de gerar valor para todos os stakeholders:
 
  • Diagnóstico: Conduzir uma avaliação de alto nível usando ferramentas de diagnóstico que mostram as áreas do negócio onde o DNA da Sustentabilidade é mais forte e onde ainda é preciso investir.
  • Definição: Identificar as principais intervenções necessárias para alcançar as metas de sustentabilidade da organização usando uma série de diferentes inputs.
  • Desenvolvimento: Construir um roteiro baseado na visão de mudança da organização usando um conjunto claro de KPIs capazes de medir o sucesso no fortalecimento contínuo do DNA da Sustentabilidade.
"O impacto generalizado da pandemia de Covid-19 nos ajudou a compreender que as empresas precisam lidar com as necessidades de todos os seus stakeholders", explica o Professor Schwab, fundador e presidente executivo do Fórum Econômico Mundial. "O investimento em práticas organizacionais efetivas, as empresas estarão mais bem posicionadas para alcançar suas metas financeiras, contribuindo ao mesmo tempo para o bem-estar social e o bem comum."
 
Sobre o estudo
O modelo Sustainability DNA foi desenvolvido por meio de pesquisas e entrevistas com líderes de negócios, consumidores e colaboradores. Para validar o modelo, trabalhamos com o Arabesque S-Ray, um fornecedor de dados ambientais, sociais e de governança (ESG), para construir o Sustainable Organization Index (SOI) que classifica cerca de 4.000 empresas de acordo com as evidências de mercado das práticas de apoio do ESG em 146 áreas. Em seguida, usamos a análise econométrica a fim de testar a relação das pontuações da SOI com o desempenho financeiro e de sustentabilidade.
 
Sobre a Accenture
A Accenture é uma empresa global de serviços profissionais líder em soluções para digital, nuvem e segurança. Combinando experiência incomparável e habilidades especializadas em mais de 40 setores, oferecemos serviços nas seguintes áreas: Strategy and Consulting, Interactive, Technology e Operations - todas alimentadas pela maior rede de centros de tecnologia avançada e operações inteligentes do mundo. Nossos 624 mil funcionários entregam a promessa de tecnologia e conhecimento humano todos os dias, atendendo clientes em mais de 120 países. Abraçamos o poder da mudança para criar valor e sucesso compartilhado para nossos clientes, funcionários, acionistas, parceiros e comunidades. Visite o site da Accenture.
 
Sobre o Fórum Econômico Mundial
O Fórum Econômico Mundial é a Organização Internacional voltada para a Cooperação Público-Privada e envolve os principais líderes políticos, empresariais, culturais e demais líderes da sociedade para moldar agendas globais, regionais e industriais. Foi estabelecido em 1971 como uma fundação sem fins lucrativos com sede em Genebra, na Suíça. É independente, imparcial e não está ligado a qualquer tipo de interesse.
 
Informações para a imprensa: 
Fernando de Moraes - fernando.de.m.silva@accenture.com  

bcw | burson cohn & wolfe
Deborah Costa, Alana Marques e Felipe de Paula